Já está tudo pronto para recebero público. Neste sábado, 16 de julho, o histórico Pavilhão Ciccillo Matarazzo, projetado por Oscar Niemeyer e localizado dentro do Parque Ibirapuera, estará aberto para visitação livre, e com uma programação totalmente gratuita para todas as idades.

Este será o terceiro encontro do programa Pavilhão aberto 2022. Com o título “Ações para uma cidade compartilhada”, um dos destaques do evento é a conversa com o padre Julio Lancellotti e a artista visual Carmela Gross, às 16h, que irão falar sobre como os equipamentos públicos dialogam com a ideia de uso coletivo do espaço e determinam a maneira como as pessoas se relacionam com a cidade.

Padre Julio Lancellotte observa obra da série Afeto, do artista Enivo.

Padre Julio Lancellotte observa obra da série Afeto, do artista Enivo.

Antes, às 11h, acontece uma visita mediada ao Pavilhão com a equipe da Bienal. Em uma rara oportunidade de percorrer o prédio vazio, esta visita passa por uma breve apresentação sobre a história do edifício e sobre alguns de seus usos, a discussão sobre o valor público do patrimônio e a relação entre as pessoas e o espaço urbano.

Das 13h às 15h, será a vez da oficina livre de dança free step, na marquise do MAM SP, com o grupo Crossover, uma dança de movimentos livres sob as batidas da música eletrônica. O estilo baseia-se em passos elaborados e rápidos, trazendo também a mistura de outras danças. O grupo Crossover atua há 12 anos organizando encontros livres no Pavilhão da Bienal para a difusão da arte da dança. Não é necessário se inscrever.

E com início às 13h30 (em sessões de meia-hora, até 15h30) é realizada uma programação especial para as crianças: a contação de histórias “Fazendo retratos para serem lembrados no futuro”, com Markito Alonso e Rodrigo Taguchi. Um encontro que busca instigar a imaginação e a memória. Por meio de sons, traços e do corpo, crianças e adultos são convidados a explorar suas histórias e suas possibilidades, permitindo criar novas versões para fatos esquecidos e imaginários. Não é necessário fazer inscrição e o ponto de encontro é no térreo, entrada da escadaria.

Markito Alonso e Rodrigo Taguchi em Fazendo retratos para serem lembrados no futuro © Divulgação

Além das atividades, o Pavilhão estará aberto o dia inteiro, das 10h às 18h, para visitação livre (última entrada às 17h30).