Shows, performances e mesas de debates estão na programação da celebração do Dia Internacional da Língua Portuguesa, entre 5 e 7 de maio, no Museu da Língua Portuguesa. Com direção artística de Felipe Hirsch, o evento terá entre os convidados a cantora Juçara Marçal e o ativista do movimento socioambiental e de defesa dos direitos indígenas Ailton Krenak, entre outros. Toda a programação tem entrada gratuita.

No dia 5, por exemplo, será exibido em looping o filme “Marcha à Ré”, de Eryk Rocha, sobre performance realizada por Nuno Ramos e o Teatro da Vertigem (nesta data, às 17h, Rocha e Antônio Araújo conversam com o público presente). No dia 6, é a vez do filme “Kopenawa”, uma entrevista de Davi Kopenawa gravada dentro do Museu. No dia 7, será exibida uma produção dirigida por Carlos Nader. Às 14h, no sábado, ocorre a performance “Ciranda do Gatilho”, com Saskia e Bernardo Oliveira.

Davi Kopenawa

Ailton Krenak

Já Ailton Krenak aborda questões indígenas a partir da própria vivência. O ativista do movimento socioambiental e de defesa dos direitos indígenas apresenta seus pensamentos sobre a vida das comunidades ribeirinhas e indígenas no Brasil contemporâneo na mesa “A ideia de nação”, dia 6 (sexta-feira), às 17h, no auditório, com transmissão pelo YouTube e Facebook, com libras.

Lia de Itamaracá fecha a programação de sexta-feira. Presente na experiência Falares, da exposição principal do Museu da Língua Portuguesa, Lia de Itamaracá apresenta o show “Ciranda Sem Fim”. A performance terá a participação do DJ Dolores, às 19h, na Praça da Língua.

Lia de Itamaracá

A jornalista Pilar del Río.

A língua portuguesa é falada por milhões de pessoas em diferentes partes do mundo. Nascida em um pequeno recanto da Galícia, espalhou-se pelo planeta e ganhou variantes. A jornalista Pilar del Río e o escritor Milton Hatoum falam sobre as línguas portuguesas no plural, no dia 7 (sábado), às 14h, no auditório, também com transmissão pelo YouTube e Facebook, com libras.

Críticos da atual política ambiental e dos direitos humanos, a jornalista Eliane Brum e o líder indígena André Baniwa participam da mesa “Glotocídio e Incêndios”. Na pauta, o desmatamento da Amazônia e os violentos crimes contra os povos originários, no dia 7, às 17h30, no auditório, com transmissão pelo YouTube e Facebook, com libras.

Eliane Brum

A distribuição de ingressos acontece ao meio-dia de cada data da programação, no Saguão B. Um ingresso por pessoa.