Abertura da exposição de fotos “Rio, minha paixão”

O Petit Palais, em Laranjeiras, sede da Sérgio Castro Imóveis, sediou ontem a abertura da exposição de fotos “Rio, minha paixão”, promovida pela Associação dos Embaixadores de Turismo do Rj.Mais de 200 pessoas passaram para admirar as 25 fotos de Bayard Boiteux, Cristina Lacerda, José Olímpio, Marco Rodrigues e Bayard Boiteux. Com curadoria de Gustavo Delesderrier e Susi Cantarino, a exposição demonstra uma paixão enorme pelo Rio. Claudio Castro, presidente da Associação recebeu os convidados com um coquetel organizado por Éder Meneghine, com champanhe e vinhos franceses. As comidinhas fizeram sucesso, sobretudo o risoto de bacalhau e os camarões a moda carioca. Um luxo só e com muita alegria e descontração. A exposição está aberta para visitação pública a partir de hoje mediante agendamento, através do e-mail fernandagalland@hotmail.com .

Fotos: Vera Donato

PRORROGADA exposição “José Bechara – Fluxo Bruto”, no MAM Rio

A exposição “Fluxo Bruto”, com trabalhos inéditos do artista José Bechara (1957, Rio de Janeiro), no MAM Rio, foi prorrogada até o dia 21 de janeiro de 2018. A curadoria é de Beate Reifenscheid,  diretora do Ludwig Museum, Koblenz, Alemanha.

Vista parcial exposicao Fluxo Bruto_MAM Rio_Foto Mario Grisolli

A mostra reúne trabalhos tridimensionais inéditos do artista, em grande escala, finalizados no próprio local,  em diversos materiais: vidros planos, mármore maciço, alumínio e madeira. “Fluxo Bruto” tem ainda duas pinturas inéditas sobre lona, e outras três pinturas pertencentes às coleções Dulce e João Carlos Figueiredo Ferraz e Gilberto Chateaubriand/MAM Rio.

Rabiscada_Jose Bechara_Fluxo Bruto_MAM Rio_Foto Mario Grisolli

OS TOMATTOS ESTREIA DIA 28/10 NA LAURA ALVIM

Peça, que diverte ao tratar de hábitos alimentares saudáveis, volta, dia 28, para curta temporada na Laura Alvim, em Ipanema

“Os Tomattos (…) diverte enquanto ensina às crianças (e eventualmente aos adultos) a importância de uma alimentação saudável. Tudo através de um texto ágil e conciso, driblando o didatismo com boas doses de humor lúdico”…

Marcos Breda, ator e diretor

Tom é uma criança como outra qualquer. Acha bem mais divertido tocar bateria do que fazer a lição da escola. E, no quesito paladar, acha mais saboroso um pacote de biscoitos. Até que, numa noite, é levado a conhecer personagens divertidos e sedutores. Deliciosos, melhor dizendo. Transformado num simpático tomate, Tom entra em contato com autênticos representantes de grupos com os quais as crianças tem pouca familiaridade. São as verduras, raízes, tubérculos, frutos e os temperos – chamados, a grosso modo, de legumes. E, nessa viagem, o menino descobre curiosidades sobre cada alimento, reveladas de forma lúdica, com o auxílio de uma trilha sonora caprichada e muito bom humor. Esse é o mote de “Os Tomattos”, peça escrita e dirigida por Marcia Beatriz Bello, que, a partir do dia 28, sobe o palco da Casa de Cultura Laura Alvim,  para sua terceira temporada na cidade. A montagem tem cenários da arquiteta Bel Lobo, trilha original de Chiquinho Rota, entre outros colaboradores de peso, e um elenco com cinco atores que vivem mais de 20 personagens. O musical poderá ser visto, aos sábados e domingos, até 19 de novembro.

Reza o ditado que é de pequenino que se torce o pepino. E, ao sugerir que as crianças aprimorem hábitos alimentares, nada melhor do que divertir. Nesse caso, o humor é usado sem moderação. O Quiabo, coitado, reclama que ninguém gosta dele por causa da sua baba. Já a Abóbora ascendeu socialmente. Tudo porque é usada agora em receitas sofisticadas. Ao saber que Tom o acha “sem graça”, o Chuchu, uma celebridade, não está nem aí. “Tenho milhões de likes”, desdenha ele, aludindo a seu sucesso nas redes sociais. Gaiatices à parte, a montagem seduz também pelo uso de bonecos, pernas de pau, bolas e que tais. E, claro, tudo isso acalentado por muita música.

Marcia Beatriz Bello se inspirou numa pessoa muito próxima para elaborar a divertida trama.  Mais exatamente seu afilhado, Thomás de Mattos (vem dele o título da peça, aliás), hoje com 19 anos. Thomás era uma criança diferente das demais. Ir à Cobal do Humaitá era para ele algo tão divertido quanto ir a um parque de diversões. Exagero? Num de seus aniversários, pediu aos pais de presente passar algumas semanas numa fazenda. Um hotel fazenda pensarão vocês. Nada disso. A fazenda em questão era de cultivo comunitário no interior da Bahia.

O texto foi escrito em 2001  e chegou aos palcos somente em 2016, quando estreou no Parque das Ruínas (onde, devido ao sucesso, teve prorrogada a temporada). Esse hiato entre ir da gaveta para o palco é visto com serenidade pela autora. “Naquela época, temas como orgânicos eram pouco discutidos. Há hoje uma consciência maior das pessoas, e incluo aqui as crianças, em relação a ter uma alimentação mais saudável”, observa ela antes de salientar: “As coisas acontecem na hora certa e com as pessoas certas”. Pela boa receptividade da peça, a hora não poderia ser a mais propícia. A todos, um bom espetáculo! E bom apetite!

Mais sobre a autora e diretora:

Com mais de 30 peças em seu currículo, Marcia Beatriz Bello formou-se em Interpretação e Direção Teatral na UniRio, onde também especializou-se em Educação Estética e tornou-se mestre em Memória Social. Em 2002 criou o curso Teatro para Direito e foi professora da PUC e da FGV, onde também deu aulas de Oratória. Levou seus cursos a países como Argentina (onde também dirigiu peças), Colômbia, Cuba (na respeitada Casa de las Americas), Portugal, Venezuela e Uruguai. No Brasil, viajou a convite do Sesc Nacional para dar oficinas de dramaturgia. Este ano, quando completa 30 anos que largou Economia para fazer Teatro, dirigiu seu primeiro trabalho em Nova York, uma leitura dramatizada da peça que pretende estrear em breve na Big Apple.

 

Ficha técnica:

 

Texto, direção e produção: Marcia Beatriz Bello

 

Elenco: Pedro Yudi, Danilo Gomes, Lozano Raia, Lumi Kin e Vivi Oliveira

 

Produção executiva – Jaqueline Winter

 

Assistente de produção – Rogerio Faria

 

Cenografia – Bel Lobo

 

Figurinos e adereços – Joana Seibel

 

Confecção dos bonecos – Vitor Martinez

 

Iluminação – Carlos Pereira

 

Trilha sonora – Chiquinho Rota

 

Preparação corporal – Ciça Rondinelli

 

Preparação vocal – Angela de Castro

 

Ilustração – Paula Wienskoski

 

Programação visual – Wilton Gorini

 

Vídeo – Laís de Azeredo Rodrigues

 

Fotografia – Bella Scorzelli

 

Realização – Sensibiliz’arte Produções

 

Serviço:

 

Os Tomattos:

 

Temporada: de 28 de outubro a 19 de novembro, aos sábados e domingos

 

Horário: 17h

 

Local: Casa de Cultura Laura Alvim (Av. Vieira Souto, 176, Ipanema. Tel: 2332-2016)

 

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

 

Duração: 50 minutos

 

Total de lugares: 186

 

 

Teresinha Mazzei apresenta “Possibilidades” na Galeria da Casa do Paulo Branquinho

A artista visual capixaba Teresinha Mazzei apresenta a exposição “Possibilidades” na Galeria da Casa do Paulo Branquinho (Rua Moraes e Vale, 8 térreo, Lapa – RJ), até o dia 03 de novembro, com visitação de terça a sábado, de 15h às 19h, classificação etária livre e entrada franca.

Para sua primeira exposição individual no Rio de Janeiro, Teresinha apresentará uma série de obras inéditas e algumas que fazem parte do seu percurso artístico na pigmentação orgânica mineral e seus desdobramentos, onde vem atuando desde 1999.

“Possibilidades” reúne obras que mostram um conjunto de referências do universo pictórico orgânico mineral da artista: os guardados das técnicas e objetos garimpados na sua trajetória artística dentro do Ateliê em Vitória, no Espirito Santo.

Teresinha expõe obras que vem desenvolvendo a partir da pesquisa com pinturas orgânicas que dialogam diretamente com a natureza vegetal/mineral e suas particularidades onde a mesma explora a investigação desses elementos, como casca da árvore do mangue, flores e pedúnculos da mangueira mesclando com diversos minerais tais como barros, terras, minérios e carvão somando com folheação, limalha, fios de cobre, entre outros materiais, apresentando assim trabalhos em assemblages e esculturas também com itens da mangueira.

Paralelamente a sua pintura orgânica, Teresinha desenvolve a infoarte (composição fotográfica de imagens) na qual ela cria efeitos, proporcionados pela fotografia, recortando e formando com os detalhes deste resultado final colocados sob a interferência de mídias digitais, tecendo assim uma outra dimensão  no espaço de sua obra.

Serviço:

“Possibilidades”, de Teresinha Mazzei

Visitação: até 03 de novembro, de terça a sábado, de 15h às 19h

Local:  Galeria da Casa do Paulo Branquinho (Rua Moraes e Vale,  8 térreo,  Lapa- RJ)

Classificação indicativa: livre.

Entrada franca.

Informações:https://www.facebook.com/Casa-do-Paulo-Branquinho-1838569773077958/

Crédito das fotos: Teresinha Mazzei

CASACOR Rio abre com festa no Porto

O coquetel oficial de inauguração da CASACOR Rio levou cerca de 1,5 mil pessoas ao Porto Maravilha neste domingo. De 17h às 21h, arquitetos, designers, paisagistas, fornecedores do mercado de arquitetura e construção, além de jornalistas, produtores culturais, galeristas, marchands e socialites se misturaram numa noite animada.

A festa  tomou conta do Aqwa Corporate, o arrojado edifício onde a mostra se instala este ano, na Região Portuária. Orgulhosos, os profissionais participantes da mostra receberam os convidados em seus ambientes − este ano, são cerca de 40, dentre lofts, estúdios, lounges, ambientes corporativos e lojas. Depois, embalados pelo som do DJ  Papagaio, que ficou instalado no Skyline Bar, assinado por Caco Borges e Maurício Prochnik, todos apreciaram o Amázzoni, um dry gim produzido no interior do Rio, além dos espumantes da Decanter, servidos no Restaurante com assinatura de Antonio Neves da Rocha. Tanto no Skyline Bar quanto no Restaurante foram servidos os quitutes de Roberta e Laura Pederneiras.

Numa cortesia do VLT, houve um trem expresso saindo do Aeroporto Santos Dumont às 17h e outro voltando às 21h, somente para convidados da CASACOR Rio.

“Essa é a grande festa do mercado de arquitetura e decoração. Hoje a festa é dele, dos arquitetos e designers. Tem esse glamour de estarem todos orgulhosos, mostrando seus espaços”, disse Patrícia Mayer, sócia-diretora da 3Plus, organizadora da CASACOR Rio.

Fotos: Ari Kaye